Bonsai no YouTube

Loading...

segunda-feira, 28 de abril de 2008

sábado, 26 de abril de 2008

Walter Pall bonsai demo: Carpinus orientalis - part 4/4

Walter Pall bonsai demo: Carpinus orientalis - part 3/4

Walter Pall bonsai demo: Phillyrea latifolia - part 3/3

Ansel Adans

Ansel Adams, fotógrafo estadunidense, nasceu em São Francisco no ano de 1902, filho de Charles Hitchcook Adams, um homem de negócios e Olive Bray.
Aos doze anos mostra um grande talento musical, aprendendo sozinho a tocar piano. Em 1916 realiza fotografias no Yosemite National Park, numa viagem com a família, usando uma Kodak Nº 1Box Brownie que ganhou de presente dos pais. Adams voltaria todo ano para lá até o final de sua vida, suas fotografias mais conhecidas são as desse parque, principalmente as do grande monólito.














Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Os quatro Monges

Os quatro Monges desta época foram quatro grandes pintores que pertenciam à família imperial da Dinastia Ming. Eles se transformaram em monges depois do fim da Dinastia Ming e viviam fora da sociedade. Eles não apoiavam o estilo antigo, que era o estilo favorito do então imperador e era popular nessa época; em vez do estilo tradicional, eles tiveram seus próprios estilos e trouxeram um frescor para o domínio da pintura dessa época.
Eles são Shi Tao, Zhu Da, Shi Xi, e Hong Ren.


Shi Tao (1630 - 1724) era da família imperial da Dinastia Ming e seu nome original era Shi Ruo Ji. A Dinastia Ming acabou em 1644. No ago seguinte, com 16 anos, ele virou monge e mudou de nome.
Shi Tao desprezou o estilo antigo de pintura e as teorias. Ele enfatizou o desenvolvimento da personalidade, e foi um pintor criativo.
Na sua vida, Shi Tao viajava muito. Ele visitava, observava e pintava as montanhas. Ele sabia usar bem a tinta e gostava especialmente de usar pincel muito molhado, para mostrar a suavidade das montanhas e das nuvens.





Zhu Da (1626 - cerca de 1705), foi também da família imperial da Dinastia Ming. Seu nome original era Zhu Tong Quan, e era chamado também de Ba Da Shan Ren.
Zhu Da tinha 18 anos quando acabou a Dinastia Ming. Ele ficou muito triste e se disfarçou de louco e mudo; com 23 anos, ele se transformou num monge. Porque ele vivia sempre na depressão e tristeza, mais tarde, ele realmente pareceu louco. Ele usava uma roupa longa e sapatos gastos, bebia muito e chorava com freqüência.
Zhu Da gostava de pintar paisagens, flores e pássaros. Ele desprezou as convenções e pintou livremente. Seus poemas e caligrafias também foram muito bons.
A maioria das paisagens que ele pintou são secas e frias. O tristonho na sua pintura mostrou sua tristeza, sua solidão e sua personalidade firme e persistente. Os patos que ele pintou são coloridos, mas têm caras frias. Outros animais que ele pintou, peixes, patos, gatos etc., todos têm a cabeça elevada, e olhos grandes, parecem teimosos e orgulhosos.
Zhu Da foi muito rebelde. Na vida inteira, ele não pintou nada para os governadores da Dinastia Qing. Ele teve somente dois alunos, mas influência profunda sobre pintores posteriores.




Shi Xi (1612 - 1692), chamado também de Kun Can, e o nome original dele era Liu. Ele foi também contra o governo, e com 20 anos, ele se virou um monge.
Shi Xi sabia bem poemas e pinturas. Pintou pessoas, plantas, e seu tema favorito: paisagens. Na arte, ele defendia a personalidade pessoal, considerava importante combinar emoções na pintura e pintar com o coração. Tinha boa técnica e estilo especial. É considerado o pintor mais notável dessa época.




Hong Ren (1610 - 1664) é o fundador da Escola Xin An. O nome original dele era Jiang Tao.
Hong Ren era um órfão pobre e uma pessoa fechada. Ele gostava da literatura e da pintura desde pequeno. Depois que a Dinastia Ming acabou, ele fugiu para as Montanhas de Wu Yi e virou monge.
Suas pinturas são limpas, não sofisticadas, com traços vigorosos. Ele observava muito a natureza e levava a frescura da natureza em suas obras. Ele é famoso por pintar as Montanhas Amarelas e teve uma coleção de 50 pinturas de paisagens delas.




Esta matéria foi tirada da pagína Minha China ( http://www.minhachina.com/ )

Mestre Osamu Hidaka


(Osamu Hidaka com David Yamamoto em evento na Bonsai Morro Velho.)

Osamu Hidaka
Um dos maiores mestres de Bonsai do Brasil e um dos principais responsáveis pela divulgação da arte.
Desde menino, ainda no Japão, ele já demonstrava interesse pelo cultivo de plantas. Como o pai trabalhava em uma
delegacia e estava fora de casa, o avô o chamou para morar com ele. “Nessa época, passei a ajuda-lo a cuidar da
coleção de Bonsai, mas não era bom. Ele só mandava, eu não tinha muito prazer”, conta o reservado mestre. Em
1954, Hidaka se formou na Escola Agrícola Kenritsu Takanabe Noogyoo Kootogakko com especialização na área de
flores e frutas.
“Lá eles também ensinavam tudo sobre Bonsai e orquídeas. Mudei de idéia e comecei a gostar dessa
arte”, diz. Foi dessa formação que surgiu a oportunidade de realizar um estágio no Brasil, promovido pelo
governo japonês.
“Além de arrumar um lugar em que as plantas tomem sou, chuva e vento, o mais importante é ter paciência.
Esse é o segredo do sucesso no cultivo de Bonsai.”
No começo da década de 60, ele chegava a Campos do Jordão, região montanhosa do estado de São Paulo.
“Fiquei pouco mais de um ano e gostei muito da terra. Passei quatro meses no Japão e voltei para o Brasil, dessa
vez para me fixar”, diz. Em 2 de fevereiro de 1963. Hidaka se casou com Elisa, brasileira descendente de
japoneses.
Durante a nossa visita, o casal relembrou histórias engraçadas desse começo de vida a dois. Provavelmente pela primeira
vez na história não foi a noiva que atrasou, mas o padre que não lembrou a data do casamento. A solução foi percorrer 3
km até Pindamonhangaba, debaixo de chuva, para buscar o padre esquecido. Elisa ainda revela outro
“causo” da data: durante a cerimônia, Hidaka estava calçando um modelo de sapato diferente em cada pé.
“Eu tinha de ficar escondendo com a cauda do vestido”, conta.
O casal fixou residência em Atibaia, SP, região que concentrava um grande número de famílias de imigrantes
japoneses. Depois de quatro anos de trabalho, conseguiram comprar o terreno do sítio onde vivem até hoje. Mesmo
depois de mais de 40 anos no Brasil, Hidaka ainda fala português com dificuldade. “Nunca precisei aprender
porque mesmo com os visinhos a gente só falava em japonês”, explica. A dificuldade em entende-lo, entretanto,
é compensada pela boa vontade e paciência do bonsaísta.Inicialmente, Osamu Hidaka exercia a função de avicultor,
comercializando ovos e frango. Pouco depois, resolveu aplicar os conhecimentos em jardinagem para produzir flores de
corte, especialmente rosas e crisântemos. Apenas em 1968 o Bonsai começou a aparecer no Sítio Hidaka.O viveiro foi
montado aos poucos, afinal, o Bonsai era apenas um hobby para o experiente bonsaísta. “Até o ano passado,
meu trabalho era cuidar do restaurante”, diz, referindo-se ao Toyota, estabelecimento de comida japonesa que o
casal administrava desde 1995 em Atibaia. A dedicação ao “passatempo”, entretanto, é quase total: com 69
anos, Hidaka acorda as 5h todos os dias.
A paixão declarada do bonsaísta é o pinheiro negro (Pinus thunbergii). “Cultivo essa espécie desde o começo
porque era o que eu mais via no Japão”, conta. Quando decidiu dedicar parte do seu tempo ao Bonsai, Hidaka
semeou milhares de pinheiros negros. Desses, cerca de 1,2 mil se desenvolveram. “Mas quase todos já foram
vendidos, sobraram apenas uns cem exemplares”, diz. Com eles, o mestre foi desenvolvendo seus famosos
estudos. Uma das experiências de sucesso é a de crescimento controlado de raízes, técnica criada no Japão e
introduzida no Brasil por Osamu Hidaka.Ainda assim, o bonsaísta mostra que também entende de outras espécies. Ele
conta que quando ministra oficinas em cursos e encontros de Bonsai realizados no país, os participantes sempre pedem
para mostrar trabalhos com pinheiro negro. No 8º encontro Nacional do Bonsai, de Mandaguari, PR, o maior evento
nacional promovido pelo Bonsai Center Romagnole, Hidaka vai apresentar, sim, um pinheiro negro. “Mas
também estou escolhendo uma outra espécie para levar”, diz. Segundo ele, a idéia inicial é levar um exemplar
de ácer (Acer sp) para ensinar a técnica de engrossar a base.Em meio aos pinheiros é possível encontrar piracantas
(Pyracantha spp), diversas espécies de ácer (Acer sp), jabuticabeiras (Myrciaria cauliflora), pitangueiras (Eugenia
uniflora), fícus (Fícus sp) e muitas outras. “Só não gosto muito do junípero, acho o tronco muito grosso”,
afirma. Entretanto, até os juníperos (Juniperus sp) estão presentes no Sítio Hidaka.
(Matéria retirada do Clube do Bonsai de Ribeirão Preto - Brasil - www.bonsairp.com.br)

sexta-feira, 25 de abril de 2008

World View of Bonsai 2006

Enrique Casta& ntilde;o - Mexico
Bougainvillea glabra

Peter Chan - United Kingdom
Shimpaku, Cotoneaster, and ShimpakuJuniperus chinensis, Cotoneaster
horizontalis, and Juniperus chinensis "Itoigawa"
Planted on Japanese black volcanic rock
Height: 48 inches / 121.92 cm
Pot: Chinese Yixing

Antoni Payeras - Urbina , Spain
Minorca's Juniper (Juniperus phoenicaea var. Thurbinatta)
Height: 45cm
Pot: Tokoname
The tree was collected in Minorca in 1995
(Minorca is one of the Balearic islands, Spain)

Mario Komsta - Poland
Japanese Red Pine Pinus Densiflora
Height: 17.32 inches / 44 cm
Pot: Tokoname

Wolfgang Putz - Austria
European larch (Larix decidua)
height: 20.87 inches / 53cm tall (nebari: more than 7.87 inches / 20 cm)
pot: Czech artist
Collected in spring 2001 in the Austrian alps

Walter Pall - Germany
European/Norway spruce (Picea abies)
Height: 33.47 inches / 85 cm
Pot: Derek Aspinall

Andy Rutledge - USA
Chinese Elm (Ulmus parvifolia)
Height 60 cm
Pot: Crataegus (Michael Hagedorn)

Budi Sulistyo - Indonesia
Lime Berry (Triphasia trifolia)
Height ? Pot: China

Colin Lewis - USA
Shimpaku (Juniperus chinensis sargentii)
Pot: David Lowman, DaSu Studio
United Kingdom, transplanted to USA

quinta-feira, 24 de abril de 2008

[2004] Taiwan Bonsai Creators Exhibition booklet

Murraya paniculata
75cm
Chang Ching Yao

Psidium australis
96cm
Weng An Ping
Maba buxifolia
90cm
Hung Mu La

Ficus microcarpa
80cm
Lo Min Hsuan

Malpighia glabra
92cm
Chou Ming Tsai

Maba buxifolia
85cm
Wang Chin Wen

Murraya paniculata
95cm
Hsieh Cheng Hua

Hibiscus tiliaceus
85cm
Huang Ying Lin

Bougainvillea glabra
80cm
Shen Chen Kun

Ficus microcarpa
100cm
Chen Wen Chung

Ehretia microphylla
96cm
Chang Yung Shou

Ehretia microphylla
97cm
Chen Wu Nan

Sageretia thea
63cm
Lu Tung Lung

Celtis sinensis
68cm
Li Chin Cheng


Murraya paniculata
98cm
Wu Shui He

Casuarina eguisetifolia
95cm
Chang Ming Kuang

Eugenia uniflora
100cm
Huang Ching Chou

Premna microphylla
42cm
Wang Chao Lin

Premna microphylla
51cm
Yang Chun Cheng

Premna microphylla
42cm
Wang Chao Lin

Ficus microcarpa
72cm
Yang Chun Cheng

Todas as fotos foram tiradas da pagíga Bonsai Shari SiDiao
http://sidiao.myweb.hinet.net/index_e.htm